CRIEI O DISQUE-DENÚNCIA EM 1980

 

A mídia tem noticiado, com frequência, casos de seqüestros que foram esclarecidos a partir de denúncias anônimas feitas pelo telefone à polícia. Isso vem sendo possível a partir do serviço Disque-Denúncia, introduzido pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo em outubro de 2000. A fórmula é simples: a Polícia divulga um número de telefone pelo qual as pessoas podem dar informações relacionadas com a suspeita de algum crime, sem terem seus nomes revelados. Esse sistema existe não só na Capital como também no Litoral e no Interior. Além disso, outros Estados, animados com o sucesso do Disque-Denúncia paulista, já estão adotando o mesmo tipo de serviço.

Portanto, o Disque-Denúncia foi criado há apenas três anos e meio, por iniciativa da Polícia. Certo ou errado? Errado. O Disque-Denúncia foi introduzido pela primeira vez há 24 anos, não por iniciativa da Polícia, mas sim por um programa de rádio de grande audiência: meu programa “Patrulha da Cidade”, apresentado naquela época na Rádio Globo de São Paulo.

Em 1980, quando já era grande o número de assassinatos insolúveis, pedi aos ouvintes que me revelassem autores de crimes, anonimamente, sem qualquer risco. Os dados eram por mim repassados à Polícia, que, por sua vez, investigava. Graças a isso, num só mês ajudamos a prender 19 assassinos. Ainda assim, enfrentei críticas: defensores dos direitos humanos dos bandidos, que existem até hoje, alegavam que aquilo era “dedodurismo”! Erraram...

      


 

AFANASIO JAZADJI - © 2008 - Todos os direitos reservados